Temas sociais, raciais e político marcam a exposição Tarsila Popular

29/04/2019

Para quem estiver de passagem por São Paulo, uma dica imperdível é a exposição "Tarsila Popular", que segue aberta ao púbico até o próximo dia 28 de julho, no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP). Lá estão obras raras e importantes como o famoso Abaporu, que volta ao país após 11 anos, cedido pelo Museu de Arte Latino-Americana (Malba), de Buenos Aires. Ao todo, são cerca de 120 obras, entre pinturas e desenhos.

Pintora, desenhista e tradutora brasileira, além de um marco na primeira fase do movimento modernista no país, Tarsila do Amaral (1886-1973) tem seus traços destacados numa paleta de cores que passa pelo azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo e verde cantante. E por meio de sua sensibilidade e senso crítico, atuais nos dias de hoje, suas obras dão voz para temas sociais, raciais e político. Animais e plantas também ganharam destaques nos seus traços.

Tarsila Popular integra um capítulo que o MASP dedicará por todo este ano, intitulado "Histórias das mulheres, histórias feministas", cuja programação prevê ainda exibição de filmes, workshops e palestras. Entre as mulheres homenageadas pelo MASP estão a pintora Djanira da Motta e Silva (1914-1979) e a arquiteta Lina Bo Bardi (1914-1992). A exposição de Tarsila do Amaral conta com a curadoria de Fernando Oliva e Adriano Pedrosa - este último, também diretor artístico do MASP. Simbora ?

Serviço:
Exposição Tarsila Popular
Local: Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP)
Endereço: Avenida Paulista, 1578, São Paulo / SP.
Quando: até 28 de julho de 2019
Horários: quarta a domingo, de 10 às 18 horas; terça-feira, 10 às 20 horas.
Valor: R$ 40,00 / R$ 20,00 - exceto na terça-feira, que a entrada é gratuita.
Informações: (11) 3149-5959
OBS: é possível fazer a reserva do ingresso pelo site do MASP (https://masp.org.br/) na visitação gratuita de terça-feira, evitando uma fila maior. A bilheteria fica aberta até 17h30.