Dragão do Mar transmite encontro de lideranças indígenas e rodada de torém ao vivo neste 7 de setembro

07/09/2020

Com transmissão ao vivo de uma roda de conversa em que os povos indígenas compartilham a memória coletiva da marcha da Independência, diretamente da aldeia de Almofala, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura exibe neste 7 de setembro um dos projetos selecionados por meio da Arte em Rede: "Tapuyas do Siará". Ritual sagrado e ancestral considerado um símbolo de resistência dos povos indígenas, o torém também poderá ser conferido na programação virtual desta segunda-feira. A ação será mediada pelo pesquisador Philipi Bandeira, com o apoio do Conselho Indígena Tremembé de Almofala (CITA), em parceria com o Museu da Cultura Cearense, a partir das 17 horas, no canal do Dragão do Mar no YouTube (www.youtube.com/dragaodomarcentro).

Realizada anualmente desde 2005, no Dia da Independência do Brasil, a Marcha pela Independência do povo Tremembé deste ano foi cancelada em respeito ao distanciamento social para controle do novo coronavírus. Homenageando a Marcha e difundindo a cultura ancestral do agrupamento indígena, o fotógrafo, documentarista e antropólogo indigenista Philipe Bandeira conduz a conversa sobre as memórias da marcha Tremembé, que contará com a participação doCacique João Venâncio, Pajé Luis Caboclo, Getúlio Tremembé e da Dijé Tremembé. O bate-papo será seguido de apresentação do Grupo de Torém de Almofala.

O fotógrafo, documentarista e antropólogo Philipi Bandeira vem desenvolvendo, com o projeto "Tapuyas do Siará: uma década de documentação etnofotográfica dos nativos da Terra da Luz", a digitalização e tratamento de um acervo fotográfico de cerca de 8 mil imagens sobre os índios do Ceará, realizadas por ele na última década. O material que compõe o acervo vem sendo trabalhado em diversas ações. Nesta colaboração com o Museu da Cultura Cearense, o projeto propõe uma live diretamente da aldeia de Almofala, para amenizar as distâncias, marcar a data e demarcar as telas. Simbora ?

Sobre os convidados da live
Cacique João Venâncio (Tremembé. Fundador do Museu do Índio Tremembé, Itarema. Mestre de Torém, Tesouro Vivo/Mestre da Cultura do Ceará);

Pajé Luis Caboclo (Tremembé. Fundador do Museu do Índio Tremembé, Itarema. Mestre de Torém, Tesouro Vivo/Mestre da Cultura do Ceará.

Getúlio Tremembé é diretor da Escola Indígena Diferenciada de Ensino Fundamental e Médio Maria Venança - Almofala.

Dijé Tremembé é parteira tradicional e agente de saúde indígena.

Philipi Bandeira é fotógrafo, documentarista e antropólogo indigenista. Doutorando e mestre em comunicação - UFPE e bacharel em Ciências Sociais - UFC. Realizou com os Tremembé de Almofala o filme "Espelho Nativo" (52', doc, 2009), foi assessor do Museu do Índio Tremembé (2010-2013) e também com eles produziu exposições fotográficas coletivas: MAUC/UFC (Fortaleza, 2006), Instituto Brennand e Museu da Abolição (Recife, 2016), Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado (Lisboa, 2016)

Serviço:
Arte em Rede apresenta "Tapuyas do Siará - Memórias da Marcha Tremembé"
Data: 7/09 (segunda-feira)
Horário: 17 horas
Local: canal do Dragão do Mar no YouTube (www.youtube.com/dragaodomarcentro)
Acesso gratuito
Duração: Aproximadamente 180 min
Classificação etária: livre