Dicas ginecológicas: saiba como cuidar da saúde íntima em casa

30/09/2021
Apesar da flexibilização nas regras sanitárias para a realização de consultas e exames em clínicas de naturezas diversas, muitas mulheres têm deixado de ir ao ginecologista com a frequência adequada e recomendada pelos especialistas. O médico ginecologista e obstetra, Ricardo Martins, diz que “muitas pacientes de longos anos têm deixado de lado suas consultas. Somado aos não cuidados em casa, esse descuido resulta em problemas e doenças”. Ele ainda alerta que é importante que a saúde não seja mais adiada, mas que todos os cuidados sanitários quanto à Covid-19 sejam tomados. 

Para manter a saúde e o bem-estar, são necessárias visitas regulares a especialistas da área ginecológica e tomar certos cuidados em casa. Foi por isso que o Dr. Ricardo compartilhou algumas dicas para manter a saúde íntima em dia:

- Higiene: mantenha a limpeza com um sabonete neutro, mas não utilize com tanta frequência, pois pode acabar deixando a região íntima sem a proteção natural.
- Não utilize o protetor diário todos os dias: apesar de ter esse nome, esse protetor favorece os fungos que causam corrimentos, já que a área fica abafada.
- Prefira calcinhas de algodão: elas facilitam a ventilação, o algodão é um material fresco e que permite que a região íntima seja mais arejada.
- Não exagere nos produtos de limpeza: o ideal é utilizar água e sabão, somente. 

Pouca procura
A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) constatou, após análise dos dados do Ministério da Saúde, que o cancelamento e reagendamento de visitas aos ginecologistas geram redução preocupante nos números de diagnósticos de câncer de mama e no colo do útero. “Se a mulher estiver em casa, não se consultando regularmente com o ginecologista, ela estará se expondo ao risco de não perceber uma anormalidade. Por isso, eu sempre recomendo que as mulheres de protejam, se toquem e visitem a clínica bem como façam os exames de rotina”, diz o ginecologista.  

Desde o início do período de isolamento no país, a redução observada nos procedimentos de mamografias e biópsias do colo uterino, os dois principais exames para a descoberta das doenças, foi de 23,4%. “É preciso que se fale da importância da ida até um ginecologista mesmo ainda em período pandêmico. Nós avaliamos a paciente na consulta e nos exames é que podemos identificar aspectos que não conseguimos ver”, alerta. Simbora ?

Teleconsultas
A telemedicina também é um caminho por ter diversos benefícios e facilidades. Ocorre de modo semelhante à consulta presencial em que médico(a) e paciente comparecem à uma sala virtual para que sejam escutadas as possíveis queixas. A limitação fica por conta da ausência da possibilidade de ser realizado um exame físico, obviamente pela falta de contato direto.